Como evitar os danos
do colesterol?

Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde),
cerca de 40% dos brasileiros têm colesterol alto –
ou seja, o número aproximado é de 86 milhões de
pessoas. 

A instituição indica ainda que o colesterol em níveis
anormais é responsável por cerca de 300 mil mortes
por infartos e derrames todos os anos.

Mesmo que as consequências mais conhecidas
decorrentes do colesterol alto estejam relacionadas
ao coração, também há efeitos negativos para o
cérebro. 

O resultado é de um estudo feito por especialistas
da UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina) e
da UnB (Universidade de Brasília) em parceria com
instituições internacionais.

A pesquisa aponta que o colesterol alto está
diretamente relacionado ao comprometimento da
formação de novos neurônios no cérebro. 

De acordo com o neurocientista Fabiano Abreu,
essa relação já foi apontada por alguns
pesquisadores entre as décadas de 1980 e 1990.

“A diferença é que, na época, eles relacionaram o
colesterol alto a problemas de memória”, explica. 

Como revela o especialista, os neurônios são
produzidos ao longo da vida e é exatamente nesse
processo de formação que o colesterol alto
interfere. 

“A neurogênese é lenta e, se comprometida, pode
trazer consequências ao sistema nervoso”, diz o
especialista.

Como o colesterol alto é uma doença silenciosa,
Abreu alerta para a importância da adoção de
medidas de prevenção.

AnaMaria te conta mais a respeito!

ENTENDA O QUE É

O colesterol é uma gordura produzida pelo fígado,
importante para a produção de hormônios, e tem
funções vitais no organismo. 

Segundo a nutricionista Dani Borges, existe o tipo
que adquirimos pela má alimentação e o
hereditário, que é genético. 

"Ele também se encontra em fontes alimentares
como carnes e peixes gordurosos, ou podemos
adquiri-lo com o tempo por maus hábitos
alimentares”, explica.

A alimentação saudável e a prática regular de
atividade física são essenciais para a diminuição
do LDL (colesterol ruim). 

Adotar uma dieta equilibrada evita esse tipo de
problema. Com relação aos exercícios, musculação e
caminhadas longas ajudam a baixar o colesterol.

TEXTO: Raquel Borges
REVISÃO: Vivian Ortiz/ Juliana Ribeiro
EDIÇÃO: Caroline Duarte 
SUPERVISÃO: Vitor Balciunas 
CRÉDITOS: Tenor, Pixabay e Unsplash

CLIQUE AQUI